Certa vez um sujeito que me inspira muito disse:

“Design é função, não forma.”

Quem disso isso foi uma das mentes mais brilhantes da indústria tecnológica: Steve Jobs.

Esse conceito mudou o comportamento de toda uma geração. Jobs estava se referindo ao real objetivo do design. Não apenas criar algo bonito e que faça alguém chorar de emoção.

Um bom design precisa atingir um objetivo especifico, e muitas vezes é o fator principal da comunicação de uma marca ou produto.

A influência do design nas vendas

Uma boa identidade visual pode ser o fator de diferenciação de uma empresa ou produto perante seus consumidores.

No mercado atual, estamos inseridos em um contexto turbulento, saturado de marcas e produtos com funcionalidades semelhantes e preços quase idênticos. E é aí mesmo, que o design pode ser o fator decisivo no sucesso ou no fracasso de vendas.

O motivo? Um bom design pode (e deve) por si só gerar o interesse do público.

 

 

 

 

 

Como um bom design alavancou as vendas das Havaianas

A Apargatas SA, fabricante das Havaianas, começou a perceber uma forte queda nas vendas de seu único produto no início da década de 90. Estava perdendo mercado para a pirataria e para a Rider, sua maior concorrente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na época, o chinelo da marca dominava a população mais simples e humilde e, para conseguir alavancar suas vendas, só havia duas opções:
1. Convencer seu público a comprar mais; ou
2. Reposicionar seu produto para atingir novos públicos.

Acertadamente, investiram na segunda opção. E, o sucesso desta escolha, nós percebemos até hoje.

 

Com uma análise de mercado, descobriram algo inusitado: o pessoal mais jovem começou a usar as suas Havaianas do avesso, com a sola para cima, para que ficassem toda azul.

Assim, ela ficava diferente do modelo usado pelas pessoas mais humildes.

E BOOM – surge o seu novo (e genial) posicionamento, de maneira orgânica, a partir de uma tática simples, porém quase sempre esquecida: ouvir o seu público.

Em 1995 foram criadas as Havaianas TOP, focadas na classe média através de uma mudança no visual.

Vários atores famosos como Luiz Fernando Guimaraes, Malu Mader, Lázaro Ramos e tantos outros foram escalados para participar dos seus comerciais. Em seguida, iniciaram as edições sazonais, como as da copa do mundo e olimpíadas.

Com a grande ascensão da marca, expandiu seu mercado para o exterior.

Tudo a partir de uma “pequena” mudança no design…

Com todo esse novo cenário, o objetivo do design das novas Havaianas era claro: diferenciar as sandálias (agora não são mais chinelos) dos modelos que remetem a um produto mais barato.

E, com isso, trazer a sensação de que os produtos são descolados e de alta qualidade, o que influenciou todo o trabalho de design da marca, do produto, da comunicação, das lojas etc…

No produto para exportação, inclusive, o design tem um papel fundamental: levar para o mundo a BRASILIDADE.

É claro que tudo foi acompanhado de um novo projeto de design para suas lojas franqueadas e pontos de vendas.

 

O design foi fundamental para aumentar a percepção de valor para seu público, alçando uma marca prestes à extinção a um novo patamar, forte e consolidada no mundo todo.

E é essa a essência que o Senhor Jobs tinha em sua cabeça.

Trabalhar o design para gerar valor, mudar a percepção de um produto ou de uma marca, fazer do design algo realmente funcional.

Muito, muito além de apenas algo “bonitinho”!

 

Adriano Zibetti
Co-founder e Diretor de Criação da Agência Ousar

Linkedin

LEO

LEO

Leave a Reply

Agência Ousar

Atentos às mais modernas práticas de gerenciamento de projetos, dividimos cada setor em núcleos altamente especializados para conferir agilidade, independência e potencializar os resultados.

Acompanhamos, identificamos e reagimos em tempo real aos fatores de disrupção tecnológica e social que afetam organizações mundo a fora.

Conheça a OUSAR